Um Tartar Refrescante da Dadivosa by @Cozinhapequena

Para fechar a onda dos tartares, publico este última (ok, disse que seriam 4, mas estou com pregui e tenho outras coisas para postar logo) receita de tartar. Desta vez, a ação ficou por conta do, já íntimo, Leandrinho Little Kitchen.

A receita é do site Dadivosa, até então desconhecido para mim, mas altamente recomendável e com receitas muito boas… uma linguagem bem gostosa de se ler.

Take a look…

– Ingredientes:

1/2 abacate
1/2 cebola roxa pequena (precisa ser da roxa, que é mais suave e crocante)
1 tomate sem peles e sem sementes
1/2 limão
algumas folhinhas de manjericão fresco (o seco não vai prestar)
sal e pimenta moídos na hora
1 colher de sopa de lábane (coalhada seca), cream cheese, sour cream ou iogurte dessorado.
1 raminho de manjericão fresco
1 fio generoso do melhor azeite que seu bolso permitir comprar

– Como fazer:

Por conta da efemeridade do abacate, esse não é um prato para se fazer com antecedência. Deixe, portanto, para prepará-lo no último minuto. É bem fácil e não vai dar trabalho algum.
Comece picando a cebola roxa em minúsculos cubinhos (os meus tinham 1 mm). Uma faca bem afiada vai ser de grande valia nessa hora. Reserve a cebola numa tigela de vidro.
Esprema o limão por cima da cebola.
Corte o tomate sem pele nem sementes em cubinhos um pouco maiores (0,5 cm) e deixe-os na tigela com a cebola.
Chegou a hora da estrela. Como a polpa do abacate é sensível, você deve tomar alguns cuidados ao cortar. A primeira providência é deitá-lo com carinho sobre a tábua e fazer um corte profundo, horizontal, acompanhando o caroço. Pronto! Agora você tem sua metade de abacate com a qual trabalhar. A outra metade, se não for usar, respingue com limão e leve à geladeira, ainda com o caroço e coberta por uma película plástica.
Com uma faca afiada, vá cortando a casca. Para esse prato não vale aquela técnica de tirar a polpa com a colher, pois vai transformar tudo numa papinha e não estamos a fazer guacamole.
Depois de descascada a metade, deite-a novamente na tábua, com o buraco do caroço para baixo. Faça três cortes horizontais, separe as seções com cuidado e corte-as em quadrados. Formarão cubos de um centímetro, mais ou menos.
Junte o fruto à mistura que aguarda na tigela e envolva com bastante delicadeza. Moa sal e pimenta por cima (resista e não ponha muito, pois a idéia é manter a diversidade de sabores delicados e frescos).
Misture as folhinhas de manjericão e empregue.
Usei um aro para enformar e, às colheradas, fui preenchendo a cavidade, cuidando para não despejar o líquido que se formou.
Em cima do tartar vai a colherada de lábane (ou um dos substitutos recomendados), e o galhinho de manjericão. Um toque de excelente azeite e estamos conversados.

E ela ainda completa com algumas dicas:
“O segredo está em escolher bem os ingredientes, caprichar ao picá-los e, principalmente, não se render ao comichão de adicionar mil e um temperos, alhos e conservas.”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: